segunda-feira, outubro 10, 2005

Pois é a vida :( A C. é que andava com maus pressentimentos mas foi o meu avô paterno que faleceu. Andava eu a passear descontraidamente na Intercasa quando recebo um telefonema da minha mãe. Morreu rapidamente, não sofreu. Teve um enfarte. Sempre imaginei que este meu avô fosse ter umas daquelas mortes horríveis e lentas pois ele sofria de vários tipos de cancro já há muitos anos. Já há mais de dez anos que ele não tinha estômago e o ano passado tinham-lhe retirado um tumor da cabeça. Contudo, vivia bem.
Não vos sei dizer como me sinto. As pessoas que me conhecem sabem o tipo de relação que (não) existia entre mim os meus avós paternos. Acho que acabei por sofrer mais pelo meu pai e pelos meus tios. É estranho. Não se parece nada com o que senti quando faleceu o meu avô materno, que era o meu segundo pai. Enfim, como dizem, a lei da vida.
A minha avó paterna vai agora viver com os filhos, ficando um mês em casa de cada um.

13 comments:

Blogger Virgulina said...

Eu nunca tive grande proximidade com os meus avós, os paternos nem cheguei a conhecer, os maternos conheci pouco, o meu avô faleceu quando eu era muito pequenita e a minha avó faleceu há uns 4 anos, mas também não lhe era muito chegada. Acho que também fiquei mais triste pela minha mãe do que outra coisa, mas sentia-me estranha de não conseguir sentir mais nada além disso.
De qualquer forma, os meus pêsames!

14:44  
Blogger fantasma said...

Beijo grande, Flor!!!! :o(
Realmente a vida é assim, um dia acaba... eu não conheci os meus avôs, e com as avós tinha/tenho uma relação um pouco estranha. A mãe do meu pai faleceu o ano passado, andava bastante doente, e fiquei triste por não me ter custado mais, percebo o que a A. diz... A minha avô materna vive comigo e com a minha mãe, sempre viveu, e a nossa relação não é das melhores. Não vale a pena contar a história toda, mas ela sempre tratou a minha mãe muito abaixo do que ela merece, considero-a uma pessoa má e interesseira. É triste dizer isto, mas nada me liga à minha avô, e um dia que ela morra, sei que não me vai custar, e vai doer muito ver o sofrimento da minha mãe :( Gostava de ter uma avó de quem fosse sentir muito a falta.

Não escolhemos a família nem ela nos escolhe a nós...

Se precisares de alguma coisa, avisa!!

14:50  
Blogger Flor said...

Obrigada meninas!
Realmente, a relação que tenho com o meus avós paternos nunca foi a melhor, só temos ligação de sangue mesmo. Imaginem que até o meu pai sentiu que tinha de se justificar por estar a sofrer com a morte do pai dele :( Dizia "eu sei que ele era assim e assado mas era meu pai" :'( Os meus avós são muito maus, maltrataram todos os filhos e nunca ligaram aos netos. A minha avó só nos começou a dar mais atenção quando se chateou com o meu avô e foi porque queria que nós tomássemos o partido dela. É triste mas é a verdade. Para verem como é triste, ela ficou contente com a morte do meu avô, porque assim já pode viver em casa dos filhos :( Já os meus avós maternos são espectaculares e os meus segundos pais. Quando o meu avô materno morreu eu sofri imenso. Aliás, acho que chorei mais agora por me lembrar dele :(
De qualquer forma é muito triste ver o meu chorar, ele que nunca demostra as suas emoções, é todo machão, sabem? Para chorar é porque se sente mesmo mal. :(

14:57  
Blogger Witchie said...

Florzinha, só para te deixar um abraço apertadinho. Percebo a tua mágoa indirecta, pelo sofrimento do teu pai. Sei que quando o meu avô morrer vai ser o mesmo comigo. Ele é (ou foi) uma verdadeira besta, muito mau para a minha avó e para os filhos. Hoje, o meu pai é o filho mais distante, mas mesmo assim sei que lhe vai custar. Enfim, a vida tem destas coisas. Como a Fantasma, também preferia ter um avô de que fosse sentir falta e trocava sem hesitar este pelo que morreu quando eu tinha 3 anos e que mal conheci. Coisas horríveis de dizer e pensar, mas daquelas que não conseguimos evitar.
Se precisares de alguma coisa, mesmo à distância, diz. Entretanto, força! Abraço apertado *

15:13  
Blogger Tania Ho said...

Pois, estas coisas são sempre tristes, mesmo que a ligação não fosse muito forte. Eu acho que até tive sorte com os meus avôs e avós, sempre me mimaram muito. Agora também só tenho uma, mas mora no Brasil de forma que só a vejo muito pouco ...Flor, um abraço grande e força para o teu pai {{}}

17:42  
Blogger Teresa said...

Lamento muito pelo teu pai, e claro é horrivel ver quem amamos sofrer mesmo quando a dor não nos toca directamente a nós. Um beijinho,

21:34  
Blogger Loca said...

bêjos, força ao teu pai que deve precisar de uns abraços de amiga.

00:57  
Blogger carine said...

força e coragem...
beijos

10:14  
Blogger Patrícia said...

Ó Flor!! Beijos grandes e apertados para ti amiga!!!
Fica bem.

11:26  
Blogger Flor said...

Obrigada amigas

11:34  
Anonymous virginia said...

só agora é que vi.

(((((flor)))))

11:55  
Blogger Xeyra said...

{{{{{{{{{Flor}}}}}}}}

Lamento imenso. É sempre triste perder um familiar, mesmo quando não temos uma relação propriamente dita com eles. É triste, porque há-de sempre haver alguém que nós amamos que vai sofrer com a morte, tal como o teu pai e os teus tios. Força para eles.

21:41  
Anonymous Corvo Audaz said...

Oi Flor. Quando estiveres assim outra vez, diz.
Quando foi a minha vez (lembras-te do que foi?) fiquei contente quando recebi a tua (e de outras pessoas) mensagem.
Beijo

19:13  

Enviar um comentário

<< Home